Milton Paiva: “Um novo contrato para São Domingos” (a semana)


Milton Paiva:

Caso seja eleito presidente da Câmara Municipal de São Domingos (CMSD), não haverá vereadores a part-time nem não-profissionalizados na sua equipa, diz Milton Paiva na noite de sábado, 03, em Praia Baixo, quando fazia a declaração da sua pré-candidatura.

Antes de expressar o rumo que pretende para São Domingos, Milton Paiva que quer ser candidato do MpD para a Câmara de São Domingos, fez uma visita a Praia Baixo. E deixou um pequeno post no Facebook, onde diz “ontem senti fortemente o clic genial que faltava para me embalar de peito fechado e generoso nesta nova empreitada com São Domingos”.

“Uma tia minha e um colega e amigo deputado reafirmavam para me convencerem, num caso, e defender-me noutro, esta ideia de partida: o que faz correr para São Domingos, um tipo como tu? Porque razão abandonas a tua paz, felicidade, carreira técnica e tranquilidade para te expores a ofensas de todo o tamanho e a um sem fim de problemas, Milton Paiva?”, lê-se no post.

E respondeu: “Metade da resposta estava clara há muito: por gostar e acreditar em política como aquele meio por excelência, através do qual certo tipo de pessoas decidem realizar-se e organizar a realização de outros e da colectividade, correndo, sonhando, liderando, excitando-se, ganhando e perdendo, tal qual um jogo da bola”.

Na sua declaração de pré-candidatura, que publicamos na íntegra, escreve que “a título individual ainda (virão muitas contribuições de terceiros, eu sei…) e pensado de repente, no novo contrato que temos obrigação de propor a São Domingos, deverão constar, a meu ver, estas ideias fortes:

1. Comigo a Presidente, não haverá vereadores a part-time nem não-profissionalizados na equipa. Part-time é uma ideia teoricamente com cabimento mas tem acabado em vários municípios por promover a ineficácia institucional sectorial. Já imaginaram o Primeiro-Ministro a liberar Ministros a meio tempo para irem dar aulas à noite ou de dia na universidade, defender um caso no tribunal, fazer uma consultoria, dar uma consulta médica, atender uns clientes privados? Dava? Pouparemos noutras coisas, não a enfraquecer as condições de dedicação à equipa…

2. Ganhando, apostarei numa equipa técnica e política muito forte, de características não exclusivamente locais, mas com uma capacidade e dimensão regionais e, quiçá, internacional. São Domingos é também Santiago Sul, Região Metropolitana da Praia e…Mundo (a nossa diáspora tem que ser mobilizada; muitas parcerias e oportunidades moram lá…). Uma equipa de políticos e gestores fortes e que não depende só do labor do líder, permitir-me-á mais tempo para estar disponível para as pessoas, que é sempre o âmago da questão e das expectativas. O problema de não estar muitas vezes, de ficar preso aos papéis… resulta também de não cuidar disso.

3. Construir sem delongas um tecido empresarial local e um ambiente universitário local serão prioridades absolutas, que nem as estradas do ex-Ministro Inocêncio. Nesse sentido contarei com as excelentes ideias da Associação dos Jovens Empresários de Cabo Verde (AJEC) de que sou sócio, coordenador de projecto e Embaixador para São Domingos até 2012. O Protocolo assinado entre a CMSD e o Instituto Superior de Ciências Jurídicas e Sociais (ISCJS) para a construção do Campus Universitário de Ribeirão Chiqueiro será impulsionado até às lágrimas. A Universidade transforma sociedades como diria o professor Corsino Tolentino, e disseram outros também de certeza, e atrai pessoas, oportunidades, crítica, análise, soluções, infraestruturas, elevação, exigência a termo. Que tal o Curso de Ciência Política, Administração Pública, serviço social ou Economia ir para lá? Ponham lá os centros de pesquisa do ISCJS.

4. Políticas e técnicas de emprego, micro-empresa, gerar rendimento, auto-emprego serão buscadas e exploradas até às lágrimas, esteja onde estiver quem saiba do assunto e mobilizando quem souber do assunto, algures neste planeta imenso, onde há sempre quem consegue melhor….

5. O Gabinete de Estudos e Planificação passará a ser animado para se tornar num verdadeiro Think Tank local (caixa de ideias), promovendo palestras, encontros, debates, exposições, ateliers, formação interna e externa…de capacitação institucional e produção permanente de ideias e propostas novas.

6. Tudo farei para que Praia-Baixo seja o segundo Pólo de desenvolvimento do município e quiçá, projectar uma verdadeira Vila, toda planificada, remodelada, ampliada, embelezada. Aquele mar que revimos hoje, a distância da Praia, o potencial à vista e as pessoas de lá e de cá, merecem.

7. Manteria dois Vereadores da actual equipa e o resto das surpresas iria orgulhar na certa as pessoas de São Domingos. Juntaria experiência de uns e puro talento de outros, uma mistura de gerações com um jovem (não tanto assim, sem exageros…) a liderar o barco desta vez.

8. Zelaria para cumprir e encorajarmos o cumprimento do Pacto Político que todos os candidatos apoiados pelo MpD assinaram ou vão assinar. Não vale usar o apoio do partido na hora e depois chutar o partido na canela até à próxima necessidade (reeleição). Não fechar a autarquia a lógicas e alianças exclusivamente partidárias, longe disso mas, caramba…não ser ingrato e manter viva, organizada, a força que empurra e que ganha.

9. Convidarei uma mulher, que já tenho em mente, e muito mais experimentada do que eu na vida, na profissão respectiva e na sua relação com as pessoas de lá e a instituição, para Presidente da Assembleia Municipal de São Domingos.

10. Finalizarei a minha mudança de apartamento e residência principal para São Domingos no prazo de 1 semana, após a nomeação como candidato oficial do MpD.

11. Um Fundo de garantia para caucionar bolsas de estudo também faz muita falta à CMSD.

12. Mandaria uma empresa RH traçar o perfil de todos os funcionários sobre contrato na instituição (CV, aptidões, ambições) e proporia às empresas ou instituições que fossem para lá e fizessem parcerias publico-privadas com a CMSD, alguns deles, à escolha de ambas as três partes, e dentro da liberdade que assiste aos trabalhadores para mudarem de vida, se aventurarem no privado também e permitir-me uma estrutura mais leve mas mais adaptada às reais necessidades da nova governação que temos em mente.

13. Contrataria um excelente coordenador ou equipa para instalar, gerir e desenvolver em velocidade de cruzeiro o Centro de Desenvolvimento Empresarial (CDE) de São Domingos (previsto no Protocolo com a AJEC de que fui o principal promotor da parte de São Domingos, juntamente com o Rui Levy da parte da AJEC.

14. Finalmente, para além da Presidência da Câmara, daria uma atenção pessoal muito, muito, muito…. especial à comunicação, cooperação, mobilização de parcerias publico-privadas e de novas e interessantes parcerias externas, no país e fora…. E assim é feito o contrato social do Milton Paiva postado pelo mesmo nas redes sociais”.

Conteúdo criado e publicado pelo A Semana

Anúncios

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s